Operação ‘Saco Azul’ aperta Benfica e Luís Filipe Vieira

62

O presidente Luís Filipe Vieira, a Benfica SAD e a Benfica Estádio, terão, de acordo com a edição desta terça-feira do jornal “A Bola” sido constituídos arguidos no âmbito da “Operação saco azul”.

Em causa estão 1,9 milhões de euros que terão sido levantados das contas da Benfica SAD em apenas seis meses, para pagamento de serviços que, alegadamente, nunca terão sido prestados. A investigação começou em 2018, por alerta da Autoridade Tributária.

Recorde-se que a 6 de junho de 2018, a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa confirmou, em comunicado, terem sido realizadas buscas ao Benfica, que levaram à constituição de seis arguidos – três pessoas singulares e três pessoas coletivas -, sob suspeita de “branqueamento e fraude fiscal”.

“Indicia-se suficientemente nos autos que estas sociedades, a coberto de uma suposta prestação de serviços de consultoria informática, realizaram várias transferências bancárias para uma conta titulada por uma outra sociedade, num valor total de 1.896.660,00€, montantes esses que acabavam depois por ser levantados em numerário. Esta última sociedade terá sido utilizada com o único propósito de retirar dinheiro das contas do Benfica”, referia o comunicado da altura.

Ainda de acordo com o mesmo jornal, o líder máximo do SL Benfica, Luís Filipe Vieira, foi ouvido na segunda-feira e terá sido constituído arguido, tal como a SAD do clube e a Benfica Estádio. Ainda hoje, serão inquiridos Domingos Soares de Oliveira, administrador da SAD do Benfica, e Miguel Moreira, diretor financeiro.