AS BOCAS DE QUEM PERDE

180

O Benfica perdeu na Luz com o Santa Clara e Bruno Lage acusou os jornalistas de tentarem promover a sua saída do clube. Diz o ainda técnico dos encarnados que desde a terceira jornada, com o FC Porto, que os jornalistas estão muito preocupados com o seu lugar.

O técnico foi mais longe e afirmou que às vezes dá por si a pensar quem é que afinal os jornalistas andam a tentar promover para entrar no seu lugar. Questionou ainda Bruno Lage se alguém estará a pagar almoços, jantares e viagens, aos profissionais da comunicação social para entrar no seu lugar.

Ora, sabendo que entre o número restrito de jornalistas presentes na sala de imprensa do Estádio da Luz, também se encontravam “jornalistas” da Benfica TV, ficamos sem saber se o treinador estava a direcionar a sua fúria aos “jornalistas” da casa, ou aos restantes representantes da comunicação social a quem foi permitida presença para cobertura do encontro com os açorianos.

Se a pergunta foi dirigida aos “jornalistas da casa” então essa é uma questão, como se diz agora, do foro interno do clube e como tal deve ser tratada em sede própria. Se a questão foi direcionada aos restantes então a coisa deve assumir contornos diferentes.

Em primeiro lugar deve a Comissão da Carteira Profissional de Jornalistas investigar se os profissionais destacados, contrariando o código deontológico da classe, se vendem por míseros almoços, jantares ou viagens, como questionou Bruno Lage, e atuar em conformidade. 

Em segundo, espera-se uma reação enérgica do Sindicato dos Jornalistas em defesa da honra dos seus filiados. Caso contrário vamos continuar a assistir a esta promiscuidade em que os protagonistas do futebol se escudam nos profissionais da comunicação social para justificar as suas falhas.

E por falar em falhas, esta é de memória: Bruno Lage a propósito dos maus resultados da sua equipa pós-covid, afirmou que a falta dos adeptos benfiquistas nos estádios, tem contribuído para o percurso irregular da sua equipa, acrescentando que falta aquele empurrãozinho à equipa.

Seria bom recordar que, ainda com público nos estádios e o tal “empurrãozinho” dos adeptos, o Benfica desperdiçou uma vantagem de sete pontos que chegou a ter sobre o FC Porto, agora líder isolado do campeonato com mais três que as águias. Na verdade, como disse Bruno Lage após o triunfo com o Rio Ave na passada semana, a cara, neste caso a boca, de quem ganha não é igual à de quem perde.

Imagem: DR